networking

A importância do networking

Seja na vida profissional, pessoal ou empresarial o networking é o que garante vida longa e bons trabalhos aos negócios. Já dizia o profeta Chacrinha que quem não se comunica se estrumbica, e o ele estava certo. O networking é essa comunicação, mas feita de forma mais natural e menos escrachada, com menos interesse em vender mas, mais interesse em manter contato.

O networking é a ação, prática de trocar conhecimentos e experiências, criar vínculos com várias pessoas de vários segmentos que por conta desse contato constante passarão a lembrar do nome da sua empresa quando precisarem do tipo de serviço que ela oferece. O networking nada mais é do uma rede de contatos, que você deve manter renovada e sempre estar presente no meio. Relacionamento é tudo e networking é relacionamento.

Mas qual é a importância do networking no mundo de hoje?

O networking é fundamental e hoje ele pode ser feito de inúmeras formas, pode ser online, pelas redes sociais, comece com uma conversa normal, haja naturalmente, conheça pessoas, faça contato, isso é fazer networking. Fazer networking é que tão importante ou mais do que fazer propaganda, anunciar, pois relacionamentos assim a gente só desenvolve mantendo contato conhecendo gente novo, falando da sua empresa, dos seus serviços, conhecendo outras empresas outros serviços.

O networking deve ser feito de forma inteligente, é preciso saber onde as pessoas certas estão, por isso ir ao lugar certo na hora certa faz toda a diferença para um networking ser bem sucedido e reverter esse networking em cliente e gerar lucro.

Então lembre-se não desperdice as oportunidades, todo encontro é uma chance de se fazer networking!

redes-2

Coisas que irritam na web

O mundo virtual ou mais popularmente conhecido como web é cheio de coisas e pessoas irritantes. Assim como no nosso mundo real. Mas quando estamos na rua e algo ou alguém nos incomoda nós vamos embora, mas na web é diferente, pois são muitos canais de comunicação abertos recebendo a todo instante informações que nos irritam diariamente, mas é quase impossível sair desse mundo virtual. Já que trabalhamos, estudamos, nos divertimos e praticamente vivemos conectados à web.

Claro, às vezes reclamamos de algo que acontece na web e que nos irrita mas estamos fazendo outras coisas na web que também irritam os outros. Então com o intuito de minimizar a irritação dos usuários da web aí vão as principais coisas que mais irritam as pessoas na web:

Convite para jogos:

Principalmente no Facebok, as pessoas tendem a mandar esses convites que quase sempre vem em disfarces para dar vida, dinheiro virtual para seu amigo que às vezes nem é seu amigo tanto assim. Então evite irritar as pessoas na web, pare de enviar convite de joguinhos!

Comentários sem noção:

Está aí uma coisa que irrita na web e em todo o lugar. Aprenda que antes de comentar você precisa entender do que se trata, justamente para não comentar coisas que não tem nada ve com o assunto discutido.

Atualizações constantes:

Outra coisa que deixa qualquer se humano nervoso na web, é que toda hora tem algum aplicativo de computador ou de mobile atualizando e repara, quase sempre nem dá tempo para nós meros mortais nos habituarmos com a nova mudança e lá vem mais atualização.

Sites que não abrem no celular:

Sinceramente, hoje em dia com tanta tecnologia mobile já está passando da hora dos sites se adaptarem, e não tem nada mais irritante do que você querer acessar um site e ele não abrir no seu celular.

Sites que tocam música na hora que a gente entra:

Além de antigo, esse modelo de site ele é irritante, porque hoje em dia nós usamos a web para ouvir música enquanto navegamos e aí você acessa um site que tem aquela musiquinha chata de fundo e estraga a sua querida trilha sonora.

Hashtags absurdas

Essa mania de colocar hastag em tudo também é irritante, dá até overdose de tanta hashtag. Então, evitem os exageros usem para uma campanha grande ou algum assunto relevante.

Pop Ups

Isso é pra lá de irritante, você está lendo alguma coisa ou quer acessar um site e quando abre aparece aquele banner enorme e que ainda tem que esperar um tempo para conseguir fechá-lo.

Essas são algumas pequenas coisas que irritam os seres humanos na web. Então, se puder evitá-las já seria uma grande coisa. A humanidade agradece!

Fonte: Exame

desesperación

A era do Marketing da Frustração

Por Fernando Diniz 

Seja muito bem-vindo à era do marketing da frustração. Uma era onde as marcas tomam uma posição, apresentam visões profundas e inspiradoras sobre a vida, mas frustram os consumidores na mesma proporção das expectativas criadas. Uma era em que o marketing inflaciona anseios mas é frívolo em suas entregas. Onde, obcecados pela gestão das percepções, nos tornamos especialistas da desilusão.

Chegamos a um momento em que não basta às marcas entregar às pessoas uma visão de vida com a qual se identifiquem, uma comunicação envolvente e um produto de qualidade pois, mesmo com esse bom “pacote de marketing”, elas continuarão frustradas tentando atingir, em vão, a visão de vida que lhes foi vendida. Chegamos a este momento porque o país transformou-se e as expectativas dos brasileiros passam por uma mudança de eixo: o desejo por mais renda e poder de compra dá, cada vez mais, lugar ao anseio por bem estar. Isso quer dizer que, além de gerar resultados, as marcas precisam assumir também o desafio de transformar positivamente a vida de seus consumidores.

Nesse cenário, por exemplo, não adianta vender uma SUV aliada a um ideal de liberdade se quem a comprou continuará sentindo-se frustrado pela rotina massacrante de uma grande cidade. Saiba que hoje o seu consumidor quer a SUV mas quer também a liberdade aspirada.

Então como o marketing e a comunicação precisam atuar de agora em diante? Antes de falar sobre isso, vale entender a origem dessa frustração olhando para a “big picture”, ou seja, começando pelo cenário do país e pelos brasileiros para, somente então, aprofundar sobre como isso influencia o trabalho que fazemos.

Comecemos pela mudança de eixo das expectativas dos brasileiros, que teve nas manifestações de junho a sua maior evidência. O fato é que a pauta das reivindicações estava muito mais ligada ao anseio por qualidade de vida do que pela busca por mais renda e consumo. Certamente há ainda muito o que se fazer no país quanto à condição dos brasileiros, mas à medida que a pobreza absoluta foi sendo superada, a questão central começa a ser o bem estar. Afinal, mesmo com mais renda e poder de compra, a vida do brasileiro continua difícil, independentemente de sua faixa de renda. A frustração com o mau funcionamento da máquina pública e, em muitos casos, também das empresas privadas, só alimenta esse sentimento.

Nós, marqueteiros e publicitários, não podemos mais trabalhar apenas no campo do consumo. Não em uma época em que o próprio conceito de bem estar e desenvolvimento é revisto pelos economistas. Cada vez menos, o crescimento do PIB, da renda e do poder de consumo são métricas absolutas para esses dois fatores, como ponderou o economista André Lara Resende, em entrevista recente. Portanto, se o bem estar é hoje um conceito ampliado e está no centro das expectativas dos consumidores, o papel do marketing – e da comunicação – também precisa ser revisto, ampliado e aprofundado.

Então como transformar nosso trabalho para evitar os efeitos do marketing da frustração? Existem pistas bem claras sobre os pontos de atenção. Em 2012, o filósofo francês Alain de Botton nos provocou em sua palestra em Cannes sobre o fato de atuarmos apenas no campo dos desejos sem suprir as reais necessidades das pessoas. Enquanto escrevia este artigo, tive o prazer de conhecer o indiano Amit Goswami, doutor em física quântica (você pode vê-lo no documentário “Quem somos nós”). Após palestra em que falou sobre a ligação entre o desenvolvimento do capital humano e novos negócios, não resisti em perguntar sua opinião sobre o tema do marketing da frustração. Sua visão é que nosso desafio será, cada vez mais, fazer uma promessa ser parte real da vida das pessoas. Bem, e se você pensou nos investimentos em programas sociais como forma de entregar esse bem estar, saiba que ainda estou no campo das verbas e das estratégias de marketing, bem focado na geração de competitividade para a marca.

Como podemos promover o bem estar já que não somos um Governo ou uma ONG e trabalhamos com foco em resultados? Usando novamente as citações de Lara Resende, o conceito de bem estar não está atrelado unicamente a um conjunto de políticas públicas. Ele passa também por um aumento do peso dos serviços no mercado: mais entretenimento, mais esporte, mais educação, mais saúde e mais cultura. E aqui há um campo bastante adequado para a atuação das marcas, um novo campo para aprofundar a relação com as pessoas.

O caminho para isso não é muito complexo, como nos apontou Gopi Kallayil. Palestrante do Proxxima deste ano, o chief evangelist social for brands do Google, nos trouxe exemplos de marcas que já trabalham perseguindo pilares de entertainment, education e utility. Esta é, sem dúvida, uma ótima visão para evitarmos a prática do marketing da frustração e impactar positivamente as pessoas. E vale lembrar que vivemos em uma era digital e conectada, onde a tecnologia nos permite soluções que unam serviços e comunicação.

Com esse olhar talvez possamos criar, ao invés de frustração, um marketing de transformação, mais conectado com as necessidades humanas e não menos comprometido com os resultados das marcas. Por fim, acredito que o desafio para isso está mais na reorganização do modelo mental engessado em que trabalha tanto o marketing quanto as agências de propaganda do que na dificuldade em saber atender a essas novas expectativas do consumidor.

 Fernando Diniz é head de planejamento estratégico e conteúdo da F.biz

Fonte Meio e Mensagem:

http://www.meioemensagem.com.br/home/comunicacao/ponto_de_vista/2014/05/20/Bemvindo-a-era-do-marketing-da-frustracao#ixzz32MIc5UtH

Como organizar sua equipe

Sempre quando assumimos um cargo temos conosco uma equipe, que precisa ser orientada e treinada. Mas entes disso é preciso organizar sua equipe e conhecê-los muito bem.

O princípio básico de qualquer tipo de organização é separar, classificar e isso para organizar sua equipe é fundamental. Então vamos as dicas e como organizar sua equipe:

1-     Conheça bem cada um

Para organizar sua equipe é preciso que você conheça cada habilidade de cada profissional que você está lhe dando. Só assim saberá onde é o melhor lugar para encaixá-lo.

2-     Deixe claro as funções

Para pode cobrar as atividades de sua equipe e preciso deixar cada um responsável por uma coisa. Nada de deixar que todos sejam responsáveis. Já diz o ditado popular, cachorro de muito dono morre de fome. Ou seja quando as funções não estão claras as responsabilidades também não ficam bem definidas e por isso a equipe acaba falhando.

3-     Tenha um objetivo final

Coloque para sua equipe um objetivo final, assim ela saberá onde precisa chegar. Não adianta nada ter sua equipe organizada e sem foco, um objetivo direciona e impulsiona ela para frente.

4-     Faça reuniões sempre

Para manter a organização é fundamental que sejam feitas reuniões constantemente com a equipe, assim é mais fácil manter sua equipe organizada e ter a certeza de que cada um está com um bom desempenho.

Essas dicas de como organizar sua equipe são muito úteis no dia a dia de uma empresa, praticamente vitais.

entrevista-de-emprego-2

O que não fazer numa entrevista de emprego

Claro que que todo mundo fica nervoso uma entrevista de emprego, ainda mais se for a primeira. Nessas horas é de fato mais complicado saber o que não fazer e o que fazer para que a entrevista siga e você tenha chances reais de conquistar o emprego.

Por isso algumas dicas de o que não fazer numa entrevista de emprego podem ajudar. Confiram:

1-     Não se atrase

Parece pouco, mas pode ser determinante na hora de conquistar o emprego. Pessoas pontuais costumam ser mais organizadas e o atraso demonstra que você deu pouca ou nenhuma importância para entrevista.

2-     Não use gírias ou palavrões

Na hora de fazer uma entrevista de emprego lembre-se que o seu vocabulário também será analisado. Portanto deixe de lado os meu, mano, véio, parceiro, da hora, dentre outros, isso inclui os palavrões ditos em momentos de entusiasmo como o foi foda, legal pra caralho e afins.

3-     Não minta sobre suas habilidades

É mais comum do que imaginamos, mentir sobre as habilidades numa entrevista de emprego não é a coisa mais inteligente para ser feita. Até porque você será testado e mentir não irá lhe dar o emprego. Portanto seja sincero diga o que sabe, o que não sabe e o que tem vontade de aprender.

4-     Mantenha o diálogo

Na hora da entrevista de emprego o mais comum é apenas responder as perguntas. Mas o ideal é tentar manter um diálogo onde o entrevistado e o entrevistador façam perguntas, isso demonstra interesse e controle emocional. Mas sem falar em excesso.

5-     Não saber nada da empresa

Sempre que você for numa entrevista de emprego vá preparado. Busque na internet coisas sobre a empresa, procure saber quem são os seus clientes, como ela trabalha, enfim reúna o máximo de informações possíveis sobre ela.

6-     Seja educado

Na hora de uma pessoa avaliar a outra numa entrevista de emprego ela nota tudo, inclusive como você se comporta, senta, conversa e se socializa com as pessoas em volta. Por isso nunca esqueça a educação em casa, lembre-se de usar por favor, obrigada, com licença e todas as palavrinhas mágicas que nos ensinaram na infâcia.

7-     Vestimenta

Quando você for fazer uma entrevista de emprego lembre-se de ser o mais clean possível. Se o cargo for jurídico ou um trabalho mais sério é necessário se vestir de maneira mais sóbria, como usar um terno, uma boa camisa e sapatos sociais. Agora, se for uma empresa onde não requer tanta formalidade atenção, nada de ir muito despojado. Opte por uma polo, calça jeans e sapatênis, ou até uma camisa. Para as mulheres o cuidado é na hora do decote e o comprimento de saias. Lembrem-se meninas não é uma balada é uma entrevista de emprego. Portanto se vista de forma elegante e sem excessos, tanto na maquiagem quanto nos acessórios.

8-     Não fale mal o ex-chefe ou da empresa

Falar mal do ex-chefe ou da empresa que trabalhava é o caminho mais curto para e dar mal em uma entrevista de emprego. Isso não é ético, e na cabeça do entrevistador ele pensará, se ele fala mal da empresa antiga vai falar mal dessa também. Você pode dizer que não se identificava com a forma de trabalho na empresa, ou com a cultura de lá, mas nunca falar mal, denegrir seu emprego anterior.

Então, lembre-se sempre dessas dicas, elas o ajudarão a fazer uma boa entrevista de emprego.

fracasso nas redes sociais

Descubra o por que as marcas falham nas redes sociais

É necessário que as marcas entendam que as redes sociais são um território do consumidor e que ele tem controlo sobre o conteúdo que posta, compartilha e curte. E por isso é preciso mudar o comportamento das marcas diante de tal meio de comunicação.

Isso ocorre porque as marcas no geral são egocêntricas, acreditam que tudo que elas produzem será consumido e acabam que ao invés de ver o consumidor como um potencializador de sua marca as empresas ainda os enxergam como algo distante. No entanto as redes sociais surgiram com a finalidade de aproximar pessoas e isso vale para o relacionamento entre marcas, empesas e seus consumidores. A internet não é um veículo como a TV, o jornal ou a revista que o diálogo não é instantâneo, que demora a repercutir. As coisas no universo digital acontecem de maneira dinâmica, por isso não adianta criar uma conta em qualquer que seja a rede social se a marca não está disposta a dialogar com o consumidor, a se preocupar de verdade com suas necessidades e mais ainda, ficar atenta ao que agrada e satisfaz seu público.

É preciso atenção para não perder o timming, entender o conteúdo e passar a se preocupar com ele, afinal a marca precisa gerar interesse para que o consumir crie um laço com ela. E nas redes sociais esse laço pode significar mais consumidores, já que os usuários confiam mais em seus amigos ou desconhecidos do que em qualquer página de empresa ou marca. Por isso é importante criar algo bacana, que agrade, que faça com que as pessoas curtam e os amigos dessas pessoas também curtam o seu conteúdo. Já que o engajamento é fundamental para se manter vivo nas redes sociais.

Por isso ao ignorarem esses pontos, esse comportamento, as marcas e empresas perdem espaço e fracassam nas redes sociais. O que é um passo para trás no mercado digital que vivemos hoje. Por isso saber administrar as redes sociais pode significar o sucesso ou fracasso de uma marca.

dicas para aumentar o clique no e-mail mkt

Dicas para aumentar o número de cliques no e-mail mkt

Muitos não gostam de usar o e-mail mkt em campanhas porque acham que não dão resultado esperado, mas existem campanhas bem sucedidas feitas com e-mail mkt que causam um bom impacto e conseguem reverter o público-alvo em consumidores ou fidelizar seus clientes por meio dessa ferramenta.

É que fazer um e-mail mkt não é difícil, o desfio está em fazer com que as pessoas cliquem nele. Por isso algumas dicas podem ajudar a conquistar mais cliques no seu e-mail mkt.

Veja:

Diferencie:

Sempre que for fazer uma campanha lembre-se de qual segmento ela faz parte e a partir daí selecione sua lista de contatos para que não aconteça o desperdício. Saber qual o perfil de quem você está mandando é essencial para deserte o interesse da pessoa certa e fazer com que ela clique no e-mail mkt e assim possa se tornar um consumidor.

Teste:

Nem todo mundo é atingido da mesma maneira, por isso experimentar dois tipos de e-mai mkt na mesma campanha pode funcionar, já que mesmo que seu público alvo seja o mesmo as pessoas são diferentes e são estimuladas de forma diferente. Por isso desenvolver dois tipos é uma maneira interessante de saber qual recebeu mais cliques.

Analise os resultados:

Depois de mandar o e-mail mkt, analise quantas pessoas abriram, se a pessoa clicou em algum link, onde esse link estava, como a arte foi desenvolvida, se estava atraente. Assim você consegui trilhar e segmentar ainda mais seu público-alvo atingindo quem realmente interessa e sabendo onde estão a falhas dessa comunicação.

Quanto ao conteúdo é outro ponto que precisa ser tratado com cautela, o e-mail mkt precisa ser relevante para a pessoa e além disso, precisa conter algo que ele deseja, procura ou que gere um interesse.

Inclua links:

Coloque links que irão direcionar a pessoa para um site, fanpage, enfim um endereço que conduza a pessoa ao ponto que  interessa. E nada de lotar o e-mail mkt de links, coloque os necessários e em pontos estratégicos e que levem a algum conteúdo logicamente.

Limite a data:

Colocando uma data limite no e-mail mkt para a compra, o convite, o desconto, o download, etc. faz com que o consumidor pense mais rápido e consequentemente consuma mais, sabendo que aquilo não ficará lá esperando por ele paras sempre, é um estímulo e tanto para campanhas promocionais.

Humanize seu endereço:

As pessoas abrem mais e-mails quando eles chegam nomeados, com o nome de alguém do que com o nome de uma empresa ou qualquer coisa do gênero. Já ajuda a aumenta o número de cliques e o número de e-mail´s mkt que foram abertos.

Inclua as redes sociais:

Sempre coloque os links das redes sociais e convidem no e-mail mkt as pessoas para curtirem, compartilharem. Promover a interação entre empesa e consumidor é fundamental para manter um relacionamento próximo das pessoas e saber o que eles estão pensando. Fora que dá a possibilidade das pessoas compartilharem o conteúdo com seus amigos.

Fonte: cafecomgalo.com.br

6a00d83451bad569e20192abce07a3970d

Marketing de Conteúdo cresce nas empresas

Apesar de não ser uma ferramenta nova, o marketing de conteúdo vem sendo mais utilizado do que nos últimos anos.

Os resultado positivos tem motivado as empresas e organizações do país a aumentarem seus investimentos em marketing de conteúdo. E a previsão segundo a matéria publicada na Exame, diz que 57% das empresas irão investir mais em marketing de conteúdo para os próximos meses.

A mesma matéria, traz uma reportagem do site CNN Money que  chama a atenção para os US$ 9 milhões injetados na ferramenta de storytelling Contently, os US$ 17 milhões levantados pela plataforma de publicidade nativa Sharethrough e os US$ 25 milhões investidos no NewsCred, software que busca dar conta do fluxo de produção de conteúdo. Tudo isso apenas no primeiro trimestre do ano. O que comprova que o marketing de conteúdo é um das ferramentas mais utilizadas no momento.

Atualmente, grande parte dos investimentos em marketing de conteúdo tem gerado retorno, promovendo mais otimização, estabilidade e eficiência para as marcas, empresas e seus canais de comunicação. Mostrando um outro nicho de investimento publicitários que antes só era visto como ferramenta de informação, transformando veículos jornalísticos em verdadeiras mídias propagandistas.

 

bild_span12

Dicas de como se comportar nas redes sociais

Saiba de uma coisa, muitos donos de empresas, checam o facebook dos possíveis contratados e sim, o que ele encontrar lá pode definir se você ou outra pessoa irá preencher a vaga de emprego.

Como se comportar nas redes sociais:

Os jovens normalmente não acreditam muito nisso, acham que as redes sociais servem apenas para descontrair. Muito se enganam, elas ajudam a traçar um perfil sobre quem você é e que tipo de atitude você costuma tomar dentro do seu local de trabalho. Por exemplo: se você aparece em grupos grandes, tipo balada e sempre com um copo na mão, atenção, comece a aparecer sem o copo. Parece que não mas, todos os detalhes importam. Passe a postar coisas positivas, mensagens, comente sobre livros, matérias que leu, se mostre engajado, não só um fanfarão de mão cheia. Os chefes adoram saber o que os funcionários fazem no seu tempo livre e se eles são do tipo dedicado ou do tipo que não estão nem ai.

Outro ponto bastante comum, são as brigas online, os bate-bocas pela rede, por isso atenção, nunca, jamais perca seu tempo discutindo com seu ex-chefe, falando mal da empresa antiga nas redes sociais, isso só deixa o funcionário queimado, pois quem falava da antiga empresa falará também da nova. Então, seja discreto, se quer desabafar escreva num diário, não no facebook ou em outras redes sociais que o mundo todo tem acesso.

Por isso saber se comporta nas redes sociais é tão importante como saber se comportar na vida, socialmente falando. As fotos que você posta também evidenciam seu comportamento, para mulheres evitar fotos que exponham o corpo demais, como biquínis e afins é uma sugestão para não ficar falada antes mesmo de entrar na empresa. Para os homens, evitar fotos sem camisa, na piscina e com garrafas de bebidas aos montes é uma sugestão.

Pense que você deve transparecer alguém confiante, então deve se comportar de tal maneira, evitar os excessos é fundamental. Sempre se lembre que menos é mais, expor a vida nas redes sociais tem um preço, nesse caso pode lhe custar um bom emprego!

Essas dicas de como se comportar nas redes sociais podem mudar de vez a suas chances de conquistar o emprego dos seus sonhos.

como aparecer na primeira página do google

Como aparecer na primeira página do Google

Muita gente pensa que para aparecer na primeira página do Google basta fazer links patrocinados que eles serão achados com facilidade e logo estarão na primeira dos sites de busca.

A verdade é que não basta apenas fazer link patrocinado no Google para aparecer na primeira página dos sites de busca, afinal é preciso manter esse posicionamento. Por isso algumas dicas podem ajudar a fazer com que seu site apareça nas primeiras ou primeira página do Google.

Atualize

É fundamenta manter o site atualizado, só assim o Google percebe que existe movimentação e passa a visitá-lo com mais constância e com isso você vai subindo no posicionamento chegando nas primeiras páginas do site de busca. Para ter espaço para alimentar o site, crie um blog dentro dele, assim você terá o local perfeito para escrever matérias, notícias e com isso manter o site atualizado e funcionando.

Tenha conteúdo relevante

Para chegar nas primeiras páginas dos sites de busca é preciso saber o que as pessoas andam buscando par que você abasteça seu site com assuntos relevantes e de interesse as pessoas. Só assim você conseguirá chegar na primeira página dos sites de busca.

Use a tecnologia a seu favor

Aprenda que o SEO, é fundamental, saiba usar palavras chaves e repeti-las dentro o seu texto para assim ser indexada de forma mais rápida e aumentar as chances de aparecer na primeira página do Google.

Busque a melhor plataforma e design

Muitos acham que não interessa a forma que o site é feito nem a cara que ele vai ter, pensam que somente o conteúdo interessa. Mas o fato é que existem plataformas e formas de se fazer um site que dificultam o aparecimento deles nas primeiras páginas de sites de busca. Por isso saber qual plataforma ele será feito, como seu desenvolvido e o tipo de design que ele terá é importante e sempre afeta o posicionamento nos sites de busca.

Para evitar que haja esse tipo de problema o ideal é buscar empresas aptas com conhecimento técnico do assunto para fazer seu site e posicioná-lo de maneira satisfatória nas primeiras páginas de sites de pesquisa, só assim as empresa poderá aparecer na primeira página do Google.